Tem de fazer download do Flash Player para ouvir a música desta página
 
 
 
A importância da Divulgação Científica   A Cultura Integral do Indivíduo   O Matemático   O Problema da Cultura   Conceitos Fundamentais da Matemática
 

O manifesto interesse pela divulgação científica foi sempre um dos objectivos cimeiros da vida de Bento de Jesus Caraça. A sua participação na Universidade Popular, na Biblioteca Cosmos, na Gazeta da Matemática; os seus escritos e as suas conferências são disso belíssimos exemplos. Pretendeu sempre diminuir o fosso que separava os que sabiam cada vez mais dos que permaneciam a saber sempre menos.

Este seu propósito encheu o prefácio do primeiro exemplar da Biblioteca Cosmos e esse seu objectivo foi com toda a certeza atingido. Até 1948, a Cosmos publicou 145 volumes, tornando-se a primeira enciclopédia portuguesa. Na Universidade Popular divulgou um conjunto de ideias transdisciplinares que lhe trouxeram um lugar de destaque na divulgação literária, científica e artística.
O grande objectivo da divulgação científica era assim de cariz cultural, uma vez que deveria promover ao máximo as capacidades humanas e provocar “o despertar das almas”. Caraça colocou-se pois do lado dos que menos sabiam, reclamando para eles mais cultura e saber e ofereceu-lhes uma poderosa arma para reformular o seu papel social e a própria sociedade: a sua obra.

Bento de Jesus Caraça foi desde sempre um verdadeiro estudioso das mais diversas áreas do saber. Leonardo da Vinci, Galileu Galilei, Newton, Einstein são apenas alguns dos nomes sobre os quais caiu a sua atenção e que se tornaram modelos ideais a atingir.
O valor que sempre atribuiu à história da ciência nasceu do facto de achar que esse conhecimento potenciaria o conhecimento do futuro. Através de testemunhos passados, a história da ciência consegue meios para despertar a percepção futura de diversos fenómenos.
A história da ciência, a história da matemática, não são mais do que a consequência das respostas às grandes questões colocadas pela natureza e pela humanidade.

Este estudioso, etnocientista, matemático, pedagogo e divulgador científico desenvolveu inúmeros esforços para superar o atraso científico do nosso país e criou condições para o desenvolvimento de uma tradição científica em Portugal, ao mesmo tempo que revolucionou a forma como se ensinava a matemática.
Bento de Jesus Caraça revelou-se um homem raro num país com uma taxa de iletrados a rondar os 86%. Não foi este o pormenor que o venceu. Bem pelo contrário, dado que nunca abandonou um dos seus objectivos primordiais: promover a cultura junto de todos.